"O BOM DA PAIXÃO
É QUE É RENOVÁVEL"
.
*artesãdaspalavras*

"Aqui estão registrados meus melhores e meus piores momentos. Minhas mais lúcidas e mais loucas inspirações. Ao escrevê-las, percorri sentidos e emoções.Tentei descrever com palavras os sentimentos mais contraditórios.
Se consegui? Não sei.
Mas valeu a tentativa."
.
IzilGallu

17 de janeiro de 2011

CÃO SEM DONO


Sou como um cão sem dono

necessitando de carinho,

mas ao mesmo tempo

não sei receber

Vivo assustada,

com medo de ser enxotada

de levar pauladas,

de sofrer

Por isso como um

cão sem dono

vivo vagando

de um lado para o outro

sem a ninguém me apegar

.
izilgallu

9 comentários:

Beth Trakininha disse...

Gostei. Acho que todo mundo pode ter seu momento de 'cão sem dono'... talvez seja bom.
Beijos

Morte Filosófica disse...

Interessante.
Há uns dias atrás, um cachorro de rua ameaçou avançar em mim enquanto eu fazia meu trageto, pulou em cima de mim, e eu parada olhei nos olhos dele e ví medo.
Abri a minha mão em direção a ele para que ele pudesse cheirar minha mão, acariciei a sua cabeça enquanto todos assustados olhavam para mim.
Então ele me cheirou, me olhou com carinho e saiu.
Desde então não avança mais em mim.

Cão sem dono,um poema que talvez nem fosse deveras falando de um cachorro, talvez fosse de nós mesmos, mas quem sabe?
Ora ele é cão sem dono, ora eu.

Tomei a liberdade de seguir todos os seus blogs, gostei muito de todos, cada um com uma parte de você.
Um forte abraço. =)

Jaque*Sampaio disse...

Sim um sentimento assim sempre nos invadi queremos nos aproximar e ao mesmo tempo temos medo .medo de se ter e perder..

Susana disse...

bonito poema. parabéns.
SusanaSousa
http://arte-poetica-ss.blogspot.com

Juh Oliver disse...

e pq não se dar ao direito de ser acariciada????
bjus

Blog da Fofa disse...

Lindo poema. Tbm sou um pouco assim. Bjos minha amiga

Osmar Santos disse...

Oi Izil!
bakana!
Por vezes nos entregamos e acabamos sendo machucados! Nos entregamos de tal forma que a outra pessoa não espera, não corresponde e por isso temos o coração dilacerado!
Mas nem sempre a culpa é do outro!
Muitas vezes este é apenas vítima da nossa entrega meio descontrolada...
grande abraço!

Néia disse...

Oi Izil...
precisamos acreditar que em algum lugar seremos felizes, daí se faz necessário tentar, pois nunca saberemos se seria bom ou não sem experimentar.Não podemos deixar que o medo nos faça refém da nossa própria procura. Temos que tentar sempre...
Estive ausente, mas morrendo de saudades.
Beijos Néia

Natália Amado disse...

Muito legal, adorei seu Blog, muito reflexivo aproveita e dê uma passadinha no meu http://www.nataliahistoriadora.blogspot.com lá também tem muitos poemas interessantes :D